Árvores e Mudas

Dracena draco


Descrição

Nome científico: Dracaena draco

A Dracaena draco L., conhecida pelo nome comum de dragoeiro, é uma planta da classe Liliopsida ordem Asparagales, família das Ruscaceae (Dracaenaceae) originária da região biogeográfica atlântica da Macaronésia, onde é nativa dos arquipélagos das Canárias, Madeira e Açores, ocorrendo localmente da costa africana vizinha e em Cabo Verde. Pode atingir centenas de anos de idade, produzindo árvores de grandes dimensões. Apesar de comum e muito apreciado como planta ornamental em jardins daqueles arquipélagos, o dragoeiro encontra-se vulnerável no estado selvagem devido à destruição do seu habitat. A sua abundância varia entre relativamente comum nas Canárias a raro na ilha da madeira e na maioria das ilhas açorianas.

Árvore que pode ultrapassar os 15 m de altura, de tronco robusto de material fibroso facilmente putrescível, de contorno irregular com até 5 m de diâmetro, com ramificação umbeliforme. Ritidoma de cor acinzentada, marcado por cicatrizes foliares e em geral fortemente fendilhado e com extensas porções secas e soltas. Ramificação dicotómica após o surgimento da inflorescência terminal, produzindo uma copa ampla em forma de umbela de contorno circular.

Folhas coreáceas simples, verde acinzentadas, acastanhadas na base,ensiformes de ápice agudo, dispostas em roseta terminal. O limbo das folhas mede 40-90 (110) x 2-4 (5) cm.

Flores odoríferas, hermafroditas e actinomórficas , com perianto com 7???10 mm, verde-esbranquiçado, composto por 6 peças unidas na base em tubo curto e campanulado.

O fruto é uma baga globosa, com 14???17 mm de diâmetro, geralmente monospérmico, inicialmente amarelo-esverdeado, tornando-se laranja brilhante quando maduro. Sementes com 7???10 mm, globosas, quase perfeitamente esféricas, muito duras, de um branco leitoso a nacarado.

Categoria: Ornamentais
  • Share
  • Árvores Plantadas
  • Hectares Reflorestados
  • Toneladas de CO2 neutralizados
  • Desastres Ambientais Evitados